CONTRAF BRASIL segue fiel em defesa da democracia

No dia 24 de janeiro de 2018, o mundo inteiro acompanhou mais um golpe antidemocrático ocorrer no Brasil e nossa história ser marcada por mais uma perseguição política apoiada pelo Judiciário brasileiro. O julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no TRF-4, em Porto Alegre, sem provas concretas, foi utilizado para dar continuidade à um golpe que começou em 2015 com o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

De l√° at√© hoje, ap√≥s Michel Temer assumir o poder, todas as articula√ß√Ķes pol√≠ticas da bancada de direita foram armadas para cumprir com o pacote de maldades contra o trabalhador, como uma forma de pagamento aos que apoiaram o golpe.

Em menos de 2 anos de governo Temer j√° foram aprovados: o congelamento do or√ßamento p√ļblico por 20 anos; o corte no or√ßamento p√ļblico em programas que s√£o fundamentais para acabar com as desigualdades sociais; o fim de programas como o Minha Casa Minha Vida Rural; a reforma trabalhista que na verdade retirou o direito dos trabalhadores; a aprova√ß√£o do projeto de lei que regulamenta a terceiriza√ß√£o sem limites no pa√≠s; a abertura do pr√©-sal aos estrangeiros; a reforma do ensino m√©dio sem a discuss√£o com a sociedade, estudantes e professores, que tiraram a obrigatoriedade de disciplinas como Filosofia e Sociologia; o projeto de libera√ß√£o da venda de terras para estrangeiros; portarias que alteram a demarca√ß√£o das terras ind√≠genas, gerando mais viol√™ncia no campo; a negocia√ß√£o para que os norte-americanos possam utilizar a base de Alc√Ęntara; as privatiza√ß√Ķes e desmonte de √≥rg√£os p√ļblicos como o MDA e o INCRA; e agora a promessa de aprovar em mar√ßo deste ano a reforma da previd√™ncia, que ir√° dificultar a aposentadoria do brasileiro.

Os retrocessos aprovados destroem direitos que foram conquistados ao longo dos anos pelos movimentos sociais e a classe trabalhadora, inviabilizando a continuidade de uma política que estrava sendo construída com pilares de acabar com a desigualdade social, a fome e a extrema miséria.

A bancada governista usa os poderes da m√°quina p√ļblica para se manter na presid√™ncia. Apoiados pela m√≠dia golpista apresentam-se com a imagem de leg√≠timos para manipular e empurrar de goela abaixo, um programa de governo que n√£o tem respaldo nas urnas. Para executar todos os retrocessos sociais, √© claro, que em ano de elei√ß√Ķes, a bancada da direita e seus aliados teriam que tirar de cena o ex-presidente Lula, j√° que ele desponta como favorito nas pesquisas eleitorais.

Neste cen√°rio, em Porto Alegre, no dia 24, o Judici√°rio na verdade acatou uma ordem de um golpe antidemocr√°tico contra os interesses e direitos do povo brasileiro. Acompanhamos um julgamento apoiado em convic√ß√Ķes e n√£o provas.

Do outro lado, n√≥s enquanto classe trabalhadora, ocupamos as ruas e o rep√ļdio as amea√ßas ao Estado democr√°tico foi visto pelo mundo inteiro, atrav√©s dos relatos da comunica√ß√£o alternativa e pelas lentes da imprensa internacional. Mais de 100 mil pessoas tentaram, por meio da soberania popular impedir que acusa√ß√Ķes infundadas fossem dadas como ver√≠dicas.

A verdade todos conhecem, que Lula sofre persegui√ß√£o pol√≠tica. E embora pare√ßa que a repress√£o pol√≠tica prevaleceu, a luta n√£o acabou e exigimos um Judici√°rio que salvaguarde os direitos fundamentais e que seja uma estabilizadora das institui√ß√Ķes democr√°ticas.

Portanto, reafirmamos nossa defesa pela democracia e seguimos apoiando Lula pela construção, em nosso país, de uma verdadeira DEMOCRACIA, em que haja LIBERDADE, PROGRESSO e JUSTIÇA para todos.  

 

Coordenação Nacional

CONTRAF BRASIL / FETRAFs / SINTRAFs

Fonte: CONTRAF-Brasil