Governo do RN amplia programa Algodão Agroecológico Potiguar

O Governo do RN dá continuidade a entendimentos para ampliar o programa Algodão Agroecológico Potiguar. Nesta segunda-feira (13), a governadora Fátima Bezerra se reuniu com dirigentes do Instituto Riachuelo para tratar da inserção no projeto governamental. Lançado em dezembro de 2021, o programa é a maior iniciativa do Brasil nesta cultura com bases agroecológicas.

Em 2022, primeiro ano de execução, foram quase 350 hectares de produção em área consorciada a culturas como milho, feijão, sorgo e gergelim, 254 famílias envolvidas e mais de 120 toneladas colhidas. O faturamento ultrapassou R$ 500 mil.

A Sedraf e entes parceiros encerraram o ciclo algodoeiro com a mobiliza√ß√£o para a safra 2023, por meio da realiza√ß√£o de seis semin√°rios territoriais, que contemplaram os territ√≥rios Potengi, Sert√£o Central, Mossor√≥/Ass√ļ, Sert√£o de Apodi, Alto Oeste Potiguar, Serid√≥, Trairi, Agreste Litoral, Terra dos Potiguares e Mato Grande.

A meta para 2023 é incluir 1.000 famílias no processo produtivo, ampliar a área cultivada para mil hectares, com presença em mais de 100 municípios e estimular a participação de mulheres e jovens.

O projeto se destaca por seus diferenciais que s√£o a distribui√ß√£o de sementes org√Ęnicas, assist√™ncia t√©cnica, certifica√ß√£o agroecol√≥gica e garantia de compra para a rama ou a pluma do algod√£o, por empresas parceiras nacionais e internacionais.

"Come√ßamos este projeto e agora vamos expandir, chegar a 109 munic√≠pios para gerar renda e trabalho. O Instituto Riachuelo √© muito bem-vindo para se somar aos esfor√ßos do Estado, promovendo o desenvolvimento econ√īmico e social sustent√°vel, com a produ√ß√£o de fibra e alimentos em cons√≥rcio, e transformando a realidade no campo", afirmou a governadora F√°tima Bezerra.

Diretor do Instituto Riachuelo, Gabriel Rocha Kanner disse que a parceria com Governo do Estado promove um arranjo eficiente e produtivo que beneficia a população no interior e atende a crescente procura de empresas que desejam trabalhar com matéria prima sustentável.

Diretor técnico do Sebrae-RN - instituição parceira do projeto -, João Hélio considerou que o Instituto chega para somar esforços no estímulo à produção de algodão agroecológico. E o grupo Riachuelo tem capilaridade para consumir a produção, fabricar e comercializar produtos.

"Estamos fazendo a jun√ß√£o de esfor√ßos, de forma articulada. Com isso ganha o Rio Grande do Norte e a agricultura familiar por que estamos trabalhando com algod√£o sustent√°vel, que n√£o utiliza agrot√≥xicos ou insumos qu√≠micos, utilizando tamb√©m a m√£o de obra feminina que recebe capacita√ß√£o. O sucesso do programa j√° atrai a FAO (Organiza√ß√£o das Na√ß√Ķes Unidas para a Alimenta√ß√£o e a Agricultura), e a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecu√°ria)", afirmou Alexandre Lima, secret√°rio de Estado do Desenvolvimento Agr√°rio e da Agricultura Familiar (Sedraf).

Acompanharam a governadora na reunião os secretários de Estado, Virgínia Ferreira (SEGRI), Alexandre Lima (SEDRAF), adjunto do GAC, Ivanilson de Souza, adjunto da Sedec, Sílvio Torquato; Davi Soares, subsecretário da SAPE, e César Oliveira (diretor-geral da EMATER). Também participaram João Hélio, diretor-técnico do SEBRAE/RN e Renata Fonseca, coordenadora do Instituto Riachuelo.

Fonte: ASSECOM/SEDRAF-RN