COORDENADOR GERAL DA FETRAF/RN E COMITIVA VISITAM OBRAS DA TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

No último final de semana, uma comitiva de potengienses, coordenada por João Cabral e Silvério Couto percorreu quatro estados do Nordeste, indo até Cabrobó no Pernambuco ( percurso feito por Monsenhor Expedito e um grupo de amigos há 20 anos) para ver de perto a obra de construção da Transposição do Rio São Francisco, sonho de milhões de nordestinos, que está se tornando realidade

Uma viagem histórica e muito rica  em temos de conhecimentos, pois presenciamos de perto a grande importância que tem a Transposição, pois será a redenção  do povo nordestino que reside no semi-árido da região.

O grupo conheceu as obras da transposição do rio São Francisco no sábado, 20, na altura de São José de Piranhas/PB, seguiu viagem e no domingo, 21, pela manhã conheceu o ponto de captação das águas do rio São Francisco, a embocadura do rio para a transposição, em Cabrobó, no sertão pernambucano.

Lá, o grupo de potengienses visitou a Estação de Bombeamento do Eixo Norte, a EBI-1, que foi inaugurada pela presidente Dilma em agosto de 2015 e encontra-se em funcionamento. De lá, o grupo percorreu 7km de canal até o primeiro reservatório a receber as águas da transposição, a Barragem de Tucutu, ainda em solo Cabroboense.

A comitiva de 22 pessoas, coordenada pelo vereador João Cabral e guiada por Silvério Couto, que entre outros contava com a participação do prefeito Naldinho e de vereadores, fez o percusso e visitou onde Monsenhor Expedito com alguns amigos estiveram há 20 anos. Monsenhor sonhava com a utilização do excedente hídrico do Rio São Francisco, obra que hoje está se tornando realidade através da transposição.

O grupo se reunirá brevemente com o intuito de planejar ações para dar continuidade a campanha lançada por Hugo Tavares (in memoriam), na luta pelo Canal Monsenhor Expedito, que seria um canal aberto com 130km de extensão, 8m de altura e 10m de largura, levando água do Rio São Francisco pela Barragem do Açu, para duas regiões secas do estado, a Sertão Central e Potengi.

FONTE: Blog do Vereador João Cabral