Ato contra o golpe marca √ļltimo dia do Congresso da contraf brasil

Com manifesta√ß√£o pac√≠fica a Confedera√ß√£o Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar do Brasil - CONTRAF/BRASIL encerrou o IV Congresso Nacional, realizado esta semana no Pavilh√£o de Exposi√ß√Ķes do Parque da Cidade.

Carregando um caix√£o simbolizando o governo golpista, agricultores familiares sa√≠ram do local de acampamento em dire√ß√£o a Esplanada dos Minist√©rios onde fizeram ato p√ļblico em defesa do Minist√©rio do Desenvolvimento Agr√°rio, da Previd√™ncia e contra o governo golpista de Michel Temer.

O coordenador geral da CONTRAF, Marcos Rochinski, explica que o ato não tem só o objetivo de defender os direitos dos trabalhadores, mas também de mostrar para a sociedade brasileira o descaso do governo com os agricultores familiares com a extinção do MDA.

"Nesse governo existe um processo de retirada dos direitos da classe trabalhadora. Nós agricultores familiares, estamos sem o MDA. Isso significa que nós não temos mais um conjunto de políticas direcionadas para esse setor. Sem política agrícola quem vai produzir comida para alimentar o povo brasileiro se hoje nós somos responsáveis por 70 por cento da cesta básica?", defendeu.

E critica o governo ao falar da aus√™ncia de di√°logo. "N√≥s n√£o reconhecemos este governo. √Č um governo que n√£o dialoga com a classe trabalhadora e que n√£o tem legitimidade para desenvolver as pol√≠ticas que os trabalhadores merecem", pontuou.

Governo Morto

Ainda pela manhã a categoria também fez ato em frente ao Palácio do Planalto onde gritavam "Fora Temer".  Em seguida, segurando um caixão com a frase GOVERNO GOLPISTA, o grupo saiu em direção ao Supremo Tribunal Federal (STF).

"Para nós o governo Temer já nasce morto. E nós também vamos deixar o recado para o STF para que o órgão julgue as pessoas que estão denunciadas nesse governo", disse Rochinski.

FONTE: CONTRAF Brasil