Suspensão de crédito preocupa agricultores familiares

A suspens√£o nas linhas de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econ√īmico e Social (BNDES) Inovagro, Moderagro, Moderfrota, Prodecoop, PCA e, sobretudo, Pronaf Investimento, noticiada no √ļltimo dia 11, tem causado preocupa√ß√£o para a Contraf-Brasil, entidade representativa dos agricultores familiares.

"Desde 2002, os recursos para a agricultura familiar, do Pronaf [Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar] são, em parte, oriundos do BNDES, então vemos com muita preocupação, porque se não há disponibilidade de recursos, certamente teremos a diminuição da oferta de crédito", considerou Marcos Rochinski, coordenador Geral da entidade.

O especialista  em  crédito rural, João Luiz Guadagnin, que atuou por mais de 20 anos no extinto Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), como Diretor do Departamento de Financiamento e Proteção à Produção - DFPP, da SAF/MDA  explica sobre o impacto para a categoria e, toda a sociedade.

Ele pontua que o volume de recursos destinados √† subven√ß√£o econ√īmica para o cr√©dito rural do Pronaf, que √© um dos poucos programas de apoio √†s unidades familiares de produ√ß√£o que ainda s√£o operados pelo Governo Federal, ficou aqu√©m das necessidades apontadas pelos movimentos sociais e agentes financeiros antes do lan√ßamento do Plano Safra 2020/2021, que foi de R$ 33 bi.

"O fim da disponibilidade de recursos para as opera√ß√Ķes de investimento no BNDES levou ao cancelamento de muitos contratos j√° assinados e de pedidos de compra de m√°quinas e equipamentos, e o preju√≠zo ficou com os agricultores familiares, com os agentes financeiros e com a ind√ļstria de m√°quinas e equipamentos destinados ao trabalho em pequenas unidades de produ√ß√£o. O preju√≠zo chagar√° aos consumidores brasileiros: √© a agricultura familiar que produz os alimentos de consumo interno. O efeito desta m√° pol√≠tica se refletir√° no √≠ndice de infla√ß√£o dos alimentos. O preju√≠zo ser√° da sociedade brasileira, especialmente dos que tem menor renda", disse Guadagnin.

E isso j√° vem acontecendo. O ano de 2020, teve a maior alta no pre√ßo dos alimentos desde 2002, com infla√ß√£o em 14,09%, conforme dados do √ćndice Nacional de Pre√ßos ao Consumidor Amplo (IPCA).

A Cresol Confedera√ß√£o, sistema cooperativo de cr√©dito composto por quatro centrais de cr√©dito filiadas e instaladas no Paran√°, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Bahia, que atua desde 1995, sendo parceira do BNDES como mandat√°rio desde 1999 e, como agente financeiro desde 2004, observa com aten√ß√£o o encerramento das linhas e observa a import√Ęncia de que mais recursos sejam equalizados para atender a demanda da agricultura familiar.

De acordo com Br√°ulio Zatti, Diretor de Fomento a Neg√≥cio da Cresol Central SC/RS "isso preocupa muito o setor do agro e da agricultura familiar, que nos √ļltimos anos vem tendo uma enorme crescente¬† de demandas de recursos tanto no Custeio, quanto principalmente nas linhas de Investimento que d√£o sustenta√ß√£o para a melhoria e aumento da produ√ß√£o da mecaniza√ß√£o trazendo mais conforto e seguran√ßa para a produ√ß√£o de alimentos.

"Sem d√ļvidas esse fechamento, prematuro das linhas do Cr√©dito Rural pelo BNDES √© no m√≠nimo muito preocupante, vai comprometendo a cada ano os investimentos sejam eles de pequeno, m√©dio e grande porte", disse Br√°ulio.

Sobre o Pronaf

O¬† Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar foi criado a partir de uma demanda especifica dos agricultores familiares. At√© 1994, era com o agroneg√≥cio que o setor respons√°vel pela produ√ß√£o de mais de 70% dos alimentos que comp√Ķem a cesta b√°sica, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estat√≠stica (IBGE), disputava recursos.

Nesse contexto, em 1996, o governo federal criou o Pronaf que √© um instrumento de pol√≠tica p√ļblica com a finalidade de fomentar e desenvolver a agricultura familiar. Esse programa financia projetos individuais ou coletivos desenvolvidos em propriedades rurais, no intuito de estimular a gera√ß√£o de renda e o emprego de m√£o de obra familiar.

Durante esses anos de atua√ß√£o do sistema Cresol, o retrato da agricultura familiar se modificou. O Diretor destaca a mudan√ßa da monocultura para a mecaniza√ß√£o da agricultura. "Hoje d√° pra se dizer com toda a propriedade que nossos associados agregaram grande mecaniza√ß√£o, inova√ß√£o, novas tecnologias, aumentando o conforto, qualidade de vida e a renda. Aumentamos muito a industrializa√ß√£o das pequenas e m√©dias agroind√ļstrias, criamos oportunidades de continuidade da atividade econ√īmica, agregando a perman√™ncia dos jovens e a sucess√£o familiar na √°rea rural".

Nesse cen√°rio, a expectativa √© de que o governo Federal equalize mais recursos ao BNDES, ou sejam contem com aporte do Tesouro Nacional para controlar taxas de juros e "nesse sentido, dialogue com o sistema financeiro, com cooperativas de cr√©dito, com as organiza√ß√Ķes sindicais, Federa√ß√Ķes e cooperativas de produ√ß√£o para urgentemente consolidar um Plano Safra melhor, mais robusto, com juros compat√≠vel com seguro, para assim garantir a viabilidade e seguran√ßa de quem produz todo o alimento desta grande na√ß√£o", pontuou Zatti.

Ao todo, as opera√ß√Ķes da Cresol junto ao BNDES j√° ultrapassaram o montante de 13 bilh√Ķes.

Escrito por: Fernanda Silva - Assessoria de Comunicação da CONTRAF-Brasil