25 anos de CONTRAF-Brasil

Nestes 25 anos da Confederação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (CONTRAF-Brasil), a comemoração é voltada à consolidação da entidade em uma das maiores e mais importantes forças de articulação de políticas direcionadas a zona rural. 

Assumindo m√ļltiplas posi√ß√Ķes em diversos espa√ßos governamentais e buscando dialogar com Ministros, Senadores, Deputados e lideran√ßas do Governo Federal, a confedera√ß√£o vem desenvolvendo algumas propostas e projetos para o pr√≥ximo ano.

Em 2023, a entidade representante dos agricultores familiares conquistou o Registro Sindical e atualmente integra a Comiss√£o Nacional de Agroecologia e Produ√ß√£o Org√Ęnica (CNAPO), a Secretaria de Finan√ßas e Administra√ß√£o da CUT, a Comiss√£o Nacional da Educa√ß√£o do Campo (CONEC), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural Sustent√°vel (Condraf) e ainda integrou a equipe de transi√ß√£o do Governo Lula.

Josana Lima, Coordenadora Geral da CONTRAF-Brasil destaca a import√Ęncia da confedera√ß√£o fazer parte desses projetos e o quanto ainda se faz necess√°rio o Governo Federal se voltar para a quest√£o da legaliza√ß√£o dos assentamentos.

"Estamos ocupando esses espaços para que seja viável a vida no campo, especialmente as dos jovens, para que isso faça eles seguirem produzindo. Ainda precisamos destacar a legalização dos nossos assentamentos, que é uma das pautas mais importantes para o próximo ano. Vamos continuar pressionando o Governo pela reforma agrária", afirma. 

Este ano, tamb√©m, a Confedera√ß√£o foi recebida por diversas autoridades e lideran√ßas do poder p√ļblico para discutir propostas. Os dirigentes da Confedera√ß√£o se reuniram com o Ministro da Fazenda, Fernando Haddad, em busca de participa√ß√£o no Plano de Transi√ß√£o Agroecologica e de mais investimento do Plano Or√ßament√°rio 2024 para a zona rural e para o Minist√©rio do Desenvolvimento Agr√°rio e Agricultura Familiar (MDA).

O minist√©rio do Ministro Paulo Teixeira tamb√©m foi pautado, e em julho entregaram a primeira devolutiva em reuni√£o junto ao Ministro da Secretaria Geral da Presid√™ncia, M√°rcio Mac√™do. As reivindica√ß√Ķes da CONTRAF chegaram tamb√©m ao l√≠der do PT na C√Ęmara, Zeca Dirceu, e √† presidente do partido, Gleisi Hoffmann, ambos como meios de articula√ß√£o de maior participa√ß√£o da pol√≠tica da Confedera√ß√£o junto ao partido.

Segundo o Coordenador de Política de Acesso à Terra, Organização da Produção, Meio Ambiente e Cooperativismo da CONTRAF-Brasil, Francisco Aurir Junior, nestes 25 anos de luta da Confederação em defesa da produção de alimentos saudáveis e sustentáveis, esse é o momento de disputar orçamento para dar impulso ao projeto de transição agroecológica.

"Nós, da CONTRAF-Brasil, continuamos defendendo um projeto de produção sustentável e para isso é necessário garantir orçamento, principalmente para avançar no processo de transição agroecológica e democratizar o acesso ao alimento saudável, que ele possa alcançar as camadas mais baixas da população. Para diminuir os efeitos das mudanças climáticas, é preciso investir na agricultura familiar, que é a categoria que se preocupa com a preservação do meio ambiente", enfatiza.   

A CONTRAF-Brasil tamb√©m esteve envolvida em v√°rias atividades promovidas pelo Governo, como √© o caso do Curso de Forma√ß√£o da ANATER, Semin√°rio de Bioinsumos, Semin√°rio Di√°logos ATER, e Semin√°rio do Programa Fomento Rural. A entidade representante dos agricultores e agricultoras familiares ainda vem acompanhando de perto o andamento do programa ¬īMinha Casa, Minha Vida Rural¬ī.

O ano tamb√©m foi muito produtivo para as Fetrafs, que realizaram m√ļltiplas conven√ß√Ķes com o intuito de debater a√ß√Ķes e expor a produ√ß√£o de alimentos. Eventos como: a 7¬į Feira e Congresso da Agricultura Familiar do RN, o 6¬į Congresso da Agricultura Familiar em Santa Catarina, o 2¬į Congresso Estadual da Agricultura Familiar do Paran√° e Mobiliza√ß√£o da Fetraf-PA para as Jornadas de Lutas, s√£o exemplos da for√ßa pol√≠tica que movimenta as regi√Ķes.¬†

Muito ainda se faz necessário para a Confederação conseguir atingir mais espaços nas esferas governamentais, porém há vários projetos e propostas que já estão em curso para o próximo ano. Os dirigentes querem expandir o máximo que podem as áreas de atuação para defender os direitos da categoria. 

No atual momento, a Confederação aspira eleger mais candidatos da base política para que as propostas e os projetos consigam avançar, de maneira que alcance todos os setores da política nacional e sejam, em sua maioria, de fato, executados.

Fonte: CONTRAF-Brasil