CONTRAF BRASIL avalia Censo Agropecuário 2017 e vê risco de colapso na segurança alimentar do país

Para a CONTRAF BRASIL, os dados do Censo Agropecu√°rio de 2017, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estat√≠stica (IBGE) divulgados no √ļltimo dia 26 de julho, demonstram o colapso da seguran√ßa alimentar e nutricional do pa√≠s.

Com os dados, verificou-se a redu√ß√£o de 1,5 milh√£o no n√ļmero de pessoas ocupadas nos estabelecimentos agropecu√°rios, o que indica a falta de pol√≠ticas para a sucess√£o rural no campo; em 2017, 1.681.001 produtores utilizaram agrot√≥xicos, ou seja, aumentou o uso 20,4% em rela√ß√£o a 2016; cerca de 15,5% dos produtores disseram nunca ter frequentado escola e 79% n√£o foram al√©m do n√≠vel fundamental; aumentou de 45% para 47% de 2006 para 2017 os estabelecimentos que se enquadram como grande latif√ļndio.

Estes dados prévios apontam maior concentração fundiária, a volta do êxodo rural, o desemprego, aumento no uso de agrotóxicos, aumento do analfabetismo no campo e o crescimento da desigualdade social.

Ainda, outro fator preocupante √© que apenas 18,7% das mulheres aparecem como produtoras rurais. O n√ļmero cresceu em rela√ß√£o a sua participa√ß√£o do √ļltimo censo que constatou 12,7% em 2006. No entanto, a invisibilidade do papel da mulher como protagonista neste cen√°rio ainda √© um problema, considerando que 45% de toda produ√ß√£o s√£o plantados e colhidos pelas m√£os femininas, n√ļmero tamb√©m divulgado pelo Censo. Logo, √© um grande desafio para as mulheres a quest√£o da equidade no campo.

Neste sentido, os desafios conjunturais e estruturais para que a Agricultura Familiar se concretize como modelo dominante são cada vez maiores, tanto nos processos de disputa com o agronegócio, como à diversidade crescente de demandas da agricultura familiar.

A CONTRAF BRASIL entende que uma agricultura familiar sustent√°vel n√£o se alcan√ßa por meio de a√ß√Ķes fragmentadas, isoladas e setorizadas, nem pol√≠ticas sociais compensat√≥rias. Ao contr√°rio, deve ser percebida como parte estrutural de um novo projeto de desenvolvimento nacional e por isso depende, significativamente, de uma mudan√ßa radical das estruturas institucionais.

Se h√° o objetivo da na√ß√£o em garantir uma alimenta√ß√£o saud√°vel para a popula√ß√£o conectados com sustentabilidade e conserva√ß√£o dos recursos naturais √© indispens√°vel pol√≠ticas que promovam a ruptura do atual modelo de produ√ß√£o de alimentos forjado pela ind√ļstria, baseada no capital e no agroneg√≥cio, para dar lugar a constru√ß√£o de um novo projeto de desenvolvimento para o Brasil Rural.

Está mais do que provado que a Agricultura Familiar é o modelo de produção em conformidade ao objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU: "Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável".

Portanto, fortalecer o setor √© uma condi√ß√£o fundamental para reverter os n√ļmeros do Censo Agropecu√°rio e a possibilidade de uma futura agricultura compat√≠vel ao desenvolvimento sustent√°vel e agroecol√≥gica.

Coordenação Nacional da CONTRAF BRASIL

Fonte:http://contrafbrasil.org.br/noticias/contraf-brasil-avalia-censo-agropecuario-2017-e-ve-risco-de-colapso-na-seguranca-deb5/