FETRAF/RN PARTICIPA DE REUNIÃO ENTRE A ASA POTIGUAR E O GOVERNO DO ESTADO

Garantir ao potiguar que vive no semi√°rido uma vida digna, com acesso √† √°gua para consumo e as condi√ß√Ķes de produzir, √© um dos desafios do Governo do Estado. Com o objetivo de levar as pol√≠ticas p√ļblicas ao campo, a gest√£o estadual est√° encaminhando duas medidas: a cria√ß√£o do Plano Estadual de Agroecologia e Conviv√™ncia com o Semi√°rido e a utiliza√ß√£o dos recursos do Fundo Estadual de Combate √† Pobreza (Fecop) para a√ß√Ķes de conviv√™ncia com a seca.

O planejamento foi discutido na quinta-feira (8) em um encontro da equipe do Governo, sob a coordena√ß√£o da governadora F√°tima Bezerra, com os representantes da Articula√ß√£o no Semi√°rido Brasileiro (ASA), organiza√ß√£o que √© refer√™ncia no Brasil na implanta√ß√£o das pol√≠ticas de conviv√™ncia com a seca, desde a constru√ß√£o de cisternas at√© a√ß√Ķes educacionais e gera√ß√£o de energia. Tamb√©m participaram do encontro representantes das federa√ß√Ķes de trabalhadores e trabalhadoras do Rio Grande do Norte (Fetraf-RN e Fetarn).

A FETRAF/RN foi representada pela Coordenadora Geral, Josana Lima.

A governadora destacou a import√Ęncia do trabalho desenvolvido pela ASA na melhoria da vida na regi√£o do semi√°rido nordestino. "O papel da ASA na inclus√£o social, com um projeto de emancipa√ß√£o do trabalhador, √© reconhecido por conta do seu tamanho nesses anos", pontuou F√°tima.

Com dificuldades de manter parcerias junto ao Governo Federal, o coordenador executivo da ASA, Alexandre Pires, apontou a possibilidade de parcerias entre a organiza√ß√£o e o F√≥rum de Governadores do Nordeste, por meio do rec√©m formado Cons√≥rcio Nordeste. "J√° tivemos conversas com ag√™ncias internacionais de desenvolvimento que manifestaram o desejo de trabalhar nas a√ß√Ķes de conviv√™ncia com a seca e avaliamos que uma parceria direta com os governos do Nordeste √© uma sa√≠da. Estamos √† disposi√ß√£o para trabalhar, trazendo nossa experi√™ncia na √°rea de projetos de acesso √† √°gua, educa√ß√£o, energia e todos os outros", explicou Pires.

De acordo com os n√ļmeros da ASA, cerca de 350 mil fam√≠lias no semi√°rido ainda n√£o t√™m acesso √† √°gua para consumo e outras 800 mil n√£o t√™m condi√ß√Ķes de manter uma produ√ß√£o agropecu√°ria pela escassez de abastecimento, sendo respectivamente 20 mil e 70 mil no Rio Grande do Norte. "J√° estamos discutindo essa possibilidade de parceria no F√≥rum dos Governadores. E o Governo do Estado est√° com todo o empenho para realizar parcerias que sejam em prol do desenvolvimento do nosso estado", disse a governadora.

Justamente para diminuir os impactos da falta de √°gua para milhares de potiguares que o Governo vai propor a destina√ß√£o de parte dos recursos dispon√≠veis no Fundo de Combate √† Pobreza para os projetos de acesso √† √°gua e produ√ß√£o agropecu√°ria que beneficiam as fam√≠lias do interior potiguar. O Fecop foi criado em dezembro de 2003 e alterado no in√≠cio de 2011, com o objetivo de utilizar parte da arrecada√ß√£o do Imposto sobre Circula√ß√£o de Mercadorias e Servi√ßos (ICMS) em a√ß√Ķes "de nutri√ß√£o, habita√ß√£o, educa√ß√£o, sa√ļde, saneamento b√°sico, refor√ßo de renda familiar".

PLANO ESTADUAL

A proposta de mudança no Fecop vem acompanhada da construção do processo de construção do Plano Estadual de Agroecologia e Convivência com o Semiárido. Há cerca de uma semana, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural e da Agricultura Familiar (Sedraf) deu início ao trabalho para a confecção do plano.

Sob a coordena√ß√£o da Sedraf, com aux√≠lio de t√©cnicos da Funda√ß√£o Oswaldo Cruz (Fiocruz), j√° est√£o sendo desenvolvidas as estrat√©gias para elaborar o plano com participa√ß√£o popular. O objetivo √© integrar as a√ß√Ķes de conviv√™ncia com o semi√°rido com a produ√ß√£o de alimentos, entregando mais sa√ļde e qualidade de vida para a popula√ß√£o rural.

Fonte: Governo do RN