Agricultores familiares reforçam a Luta durante homenagem a Lula em Juazeiro, na Bahia

Agricultores familiares da regi√£o da Bahia acompanharam a homenagem ao ex-presidente Lula, Luiz In√°cio da Silva, que recebeu t√≠tulo de cidad√£o juazeirense, durante o dia de ontem, 12.07. O ex-presidente lembrou das mudan√ßas que o Nordeste teve durante os anos do governo do PT. "O Nordeste foi tratado como a parte do Brasil que nunca recebia recursos dos governos federais. O Nordeste quase virou uma regi√£o de n√īmades porque as pessoas sa√≠am daqui procurando trabalho, √°gua, comida e melhores condi√ß√Ķes de vida. (...) A coisa mais importante que eu fiz nesse governo foi lembrar ao resto do Brasil a import√Ęncia do Nordeste", disse Lula.

 ato também fez parte de uma programação da ASA - Articulação no Semiárido Brasileiro, que está mobilizado discutindo a atual conjuntura política do país e levando aos trabalhadores rurais a politização da base, para construir novas perspectivas diante dos retrocessos da gestão do atual governo.  

"J√° estamos sofrendo as consequ√™ncias com a suspens√£o de recursos para as tecnologias de capta√ß√£o de √°gua e produ√ß√£o nas lavouras da agricultura familiar", informa a coordenadora de forma√ß√£o e educa√ß√£o profissional da Fetraf Brasil, Elisangela dos Santos Ara√ļjo.

Ainda, segundo a coordenadora, apesar do abandono do atual governo ao semiárido, um programa desenvolvido com recursos do Banco Mundial vai atender por cerca de 4 anos o semiárido da Bahia e outros territórios, dando continuidade a políticas específicas dessa região.

"Na semana do dia 25 daremos evidência as lutas da agricultura familiar. Somos as mãos que alimentam 70% da população, ajudamos a erradicar a fome e a desnutrição. Vamos fortalecer nossa classe, dizer não ao golpe e reivindicar mais geração de renda no campo", aponta Elisangela.

Os atos políticos na Bahia aconteceram com apoio das Centrais Sindicais, Frente Brasil Popular e movimentos organizados em defesa da agricultura familiar, em defesa da democracia e contra ameaças do Governo Temer.

Por: Patrícia Costa - Assessoria de Comunicação da Fetraf Brasil